Recentemente acompanhamos nos noticiários a execução de 21 egípcios cristãos coptos pelo estado islâmico. Quando “humanamente” pensamos, uma mãe que perde um filho, ou melhor, dois, em um atentado tão brutal teria motivos de sobra para amaldiçoar os autores de tal barbárie, exceto a mãe de Beshir Estafanos Kamel irmão de Bishoy e Kamel Estafanos, mortos nesta ultima execução do estado islâmico.

Em um recente programa da TV egípcia conduzido por Maher Fayez, difundiu-se o testemunho de Beshir Estafanos Kamel. Ele deu testemunho da força de sua mãe que perguntada sobre o que faria caso encontrasse o executor de seus filhos o que faria, respondeu que o “convidaria à casa porque nos ajudou a entrar no reino dos céus. ‘Estas foram as palavras da minha mãe que é uma mulher não muito educada de mais de 60 anos’. Pediria a Deus que lhe abra os olhos e o convidaria a nossa casa porque efetivamente nos permitiu entrar no Reino de Deus. Fico contente que os do Estado Islâmico não tenham cortado a parte na qual expressam a sua fé em Jesus Cristo. Isso nos ajudou a fortalecer a nossa fé. As pessoas do povo não estão tristes mas alegres, felicitam-se uns aos outros, porque temos agora muitos mártires. Desde os tempos de Roma os cristãos têm sido feitos mártires. A Bíblia nos diz que amemos os nossos inimigos” Continuou “Querido Deus abra os seus olhos para que se salvem e deixem a ignorância e os ensinamentos errados que receberam”.

São testemunhos assim que devem nos impulsionar ao seguimento mais convicto de Jesus Cristo. Não se trata de concordar com a morte de tais cristãos, mas antes, ter convicção de nossos valores cristãos e lutar por eles nem que isso nos leve a morte, ou mesmo a ter que perdoar autores de atrocidades contra nossos entes mais próximos. Assim os cristãos constantemente tem dado testemunho de fé em Jesus Cristo “ate confins do universo”.

Por Sem. Kennedy Ferreira com informações de ACI digital.