"Entrai pela porta estreita, pois larga é a porta e amplo o caminho que levam à perdição, e muitos são os que entram por esse caminho." Mt 7,13

O ciclo do ano litúrgico, no qual, nos diversos tempos da Liturgia, contemplamos a História da nossa Salvação não é apenas uma forma de organizar o tempo litúrgico ou de sistematizar e dividir quais leituras serão lidas na Missa, quais cores serão usadas ou quais festas serão celebradas. A Liturgia é o “HOJE” de Deus, no qual se atualiza e renova todos os dias o único sacrifício de Cristo.

Assim, todos os anos, somos convidados a “passar” pela Quaresma. Digo “passar”, pois a Quaresma não é um tempo litúrgico que tem um fim em si mesmo, mas é um caminho pelo qual devemos “passar”, o caminho da subida ao Calvário com Cristo, para com Ele morrermos e com Ele ressuscitarmos e adquirirmos vida nova. O problema é que muitos de nós somos tentados a permanecermos no caminho, a nos cansarmos na subida, a nos desanimarmos pela distância do destino e pela dificuldade da jornada. O Papa Francisco bem disse que há cristãos que vivem uma eterna Quaresma. Não existe Quaresma sem Páscoa.

Quem não tem aonde chegar não tem sentido e nem forças para caminhar. O cristão não é alguém sem meta na vida, não é um desorientado, mas tem sua vida orientada para um destino certo: o Céu. Cristo abriu para nós as portas da Vida Eterna, deu-nos a Igreja como meio de Salvação, alcançou-nos a filiação divina. Ensinou-nos também que a porta para a Vida Eterna é estreita, ou seja, que a Salvação não é algo que se consegue fácil: é preciso esforço, luta, perseverança. Assim, a Igreja nos oferece, a cada ano, mais uma oportunidade de percorrermos este caminho de conversão. A cada Quaresma, temos mais uma chance de nos convertermos. Cristo nos deu o exemplo e nos chama a imitá-lo. Com certeza, a subida para o Calvário é difícil, dura, às vezes, quase insuportável. Mas quem não morre não ressuscita. Quem não morre para si, para o homem velho, não é capaz de viver a vida nova em Cristo Ressuscitado.

Mais uma Quaresma? Não! Uma nova chance de caminharmos com Cristo para morrermos com Ele, mas recebermos a recompensa reservada aos que com Ele perseveraram até o fim. Boa Quaresma! Bom caminho de Ressurreição!

Sem. Ozias Xavier