Conhecemos o valor de uma árvore pela qualidade dos seus frutos. O que dizer de Maria cujo fruto é Jesus Cristo? Como oportunamente rezamos em cada Ave-Maria: “Bendito é o fruto do teu ventre Jesus”. Maria é a arca da Nova Aliança. Aquela que porta o Senhor, que o comunica ao mundo. Por isso, aquela que portou o Senhor, que o gerou, não podia ficar sujeita à corrupção da morte, foi elevada ao céu de corpo e alma, foi glorificada.

Ao ser glorificada Maria está a nos dizer: Vale à pena ser santo! Vale à pena ser humilde! Vale à pena gerar o Senhor! Pois a Humildade de Maria foi terra fértil na qual Deus pode semear suas graças dando tão grande fruto – Jesus Cristo. Em Maria entendemos que a humildade é condição para que Deus derrame suas graças na vida de uma pessoa. Nela encontramos um compêndio de todas as virtudes encontradas na vida de cada um dos santos. Maria é o modelo dos mártires, rainha dos apóstolos, modelo de mãe e esposa, modelo de virgem, modelo de inocência, de pureza… (Abade Raimundo Jordão). Por isso, assim como “o resplendor do sol ofusca o brilho de todas as estrelas. Também assim a glória da Mãe de Deus excede a de todos os bem-aventurados” (Basílio de Seleucia).

Trilhando um caminho de humildade e obediência, Maria chegou à glória dos céus. Ela é duplamente feliz. Feliz porque ouviu a Palavra de Deus é colocou em prática (cf. Lc 11, 28). Pois antes de gerar o Senhor em seu ventre, Maria já o havia gerado pela fé no seu coração. Feliz por ter gerado e amamentado o Senhor. Assim Maria fez do seu ser um lugar privilegiado para a graça de Deus. Ela é a arca cujo ornamento não é ouro nem prata. Os ornamentos de Maria, Arca da Nova Aliança, são de um lado a sua obediência e humildade e de outro a graça de Deus.

Esta arca que conteve o Senhor não podia pois estar sujeita à corrupção da Morte. Por isso, “Hoje, a Virgem Maria, Mãe de Deus, foi elevada à glória do céu. Aurora e esplendor da Igreja triunfante” (Prefácio da solenidade). Na glorificação de Maria podemos antever a glória que espera os humildes que aderem ao Senhor e sua Palavra de todo coração.

Por fim, Maria não foi alcançada pelo aguilhão da morte – o pecado – e onde não há pecado não pode haver corrupção. Maria foi revestida pelo Senhor com a veste da incorruptibilidade. Assim, ela nos diz qua a consequência de uma vida santa e obediente a Deus é a glória dos céus.

Oração: “Ó Mãe de Misericórdia, vós estais assentada tão junto de Deus, imperando como Rainha do mundo. Saciai-vos da glória do vosso Jesus e mandai a nós servos os restos que sobejam. Vós já gozais à mesa do Senhor; nós, debaixo da mesa aqui na terra, quais pobres cãezinhos, vos pedimos piedade” (Guerrico, abade).

Pe. Hélio Cordeiro