Sabemos que houve um período na história onde as relações comerciais eram realizadas através do “escambo”, que era a troca direta entre aquilo que eu tinha e aquilo que eu precisava. Com isso quero te fazer uma pergunta: “Qual é a sua moeda de troca?” O que isso quer dizer? Imagine aquela pessoa que passa a vida viajando. Todo o dinheiro dele é aplicado em viagens. Tudo o que ele tem, ele troca em viagens; outro já aplica tudo o que tem em computação: dinheiro, tempo, tudo se torna para ele moeda de troca para obter tecnologia de ponta. Com isso cada um já mostrou o que para ele é moeda de troca e aquilo pelo qual ele não troca por nada.

Quando era pequeno, sempre escutei meu pai falar que “fulano” era “catireiro”, vivia fazendo “catiras”. Até que entendi que se tratava de uma pessoa que trocava as coisas. Um dia aparecia com uma bicicleta e dizia que tinha feito uma “catira” com “ciclano” por uns frangos. Quando o via novamente, já tinha trocado a bicicleta por um relógio e assim por diante. Mas, o catireiro tinha que ser esperto. Ele sempre trocava coisas de menos valor, por coisas de maior valor, pois se assim não fosse, logo ele não teria mais algo interessante para oferecer.

Existem coisas, e são muitas coisas, que podem ser moedas de troca, mas outras nunca podem se tornar, pois não teriam valores equivalentes. Nesses valores inalienáveis entra a vida, a pessoa humana desde o ventre materno até o seu declínio natural, a fé em Jesus Cristo, a família, a verdade, a honestidade, a bondade e assim por diante.

Aquele homem das viagens percebeu que é melhor armazenar lembranças e experiências do que dinheiro no banco. Outros já preferem armazenar o dinheiro no banco do que viajar ou aproveita-lo para ter melhor qualidade de vida. Estas simples escolhas mostram quem está ganhando e quem está perdendo. Muito mais deve ser o nosso empenho para não fazer da nossa fé moeda de troca. Não se troca a fé em Jesus por nada, pois nada teria um valor equivalente ou maior. É o nosso bem maior, pelo qual tudo devemos colocar ao seu dispor. É o inegociável, onde faça sol ou chuva, o nosso coração deseja encontrá-lo e inquieto ficaria se não pudesse realizar esse desejo, como disse Santo Agostinho.

 E você, já pensou o que na sua vida é moeda de troca e aquilo que não é moeda de troca? Que a Virgem Maria, Nossa Senhora da Conceição de Aparecida, interceda para que a tudo consideremos lixo em comparação ao conhecimento de Nosso Senhor Jesus Cristo (Fl 3,8). Aproveito para parabenizar e abençoar a cada criança, para que aprendam na família, na convivência com o pai e mãe, os valores que os tornarão homens e mulheres de bem. Parabéns pelo dia das crianças.

Fraternalmente em Cristo,
Pe Dilmo Franco de Campos