A cátedra do sucessor dos Apóstolos na Diocese de Formosa continua vazia. Há um silêncio sentado nela, recordando aos fiéis aquela solidão de orfandade tão misteriosa e insistente.

Ressoa dos lábios de incontáveis ovelhas uma súplica única: “dá-nos, Senhor, um pastor segundo Seu coração”. Depois do pedido, a espera. Depois da prece, a paciência. Depois de rogar, aguardar. Permanecer em vigília, pois, o Bispo está chegando de algum lugar que nem sequer supomos.

Quando enfim encerrar esse tempo de ausência. Quando finalmente nos for anunciado – “Temos bispo!” – então, nosso coração fará festa para receber o sucessor dos Apóstolos escolhido por Deus para presidir nossa Igreja. Pastorear nossa Diocese tão formosa e sedenta da presença e olhar de seu pai maior na fé.

Essa cadeira vazia em nossa Igreja-Mãe ficará assim por pouco tempo. Brevemente, esperamos confiantes, ela será ocupada. Brevemente nosso pastor tomará posse dela e de nós, seu povo. Aí haverá risos e cânticos de alegria. Espalharemos em todos os cantos da Diocese de Formosa a boa nova de sua chegada. Ele encontrará uma Igreja viva. Uma assembleia que reza. Uma comunidade obediente. Um rebanho pronto para ser pastoreado.

Tu, Pastor Divino que jamais nos abandonas. Tu, Pastor conosco. Ensina-nos rezar e esperar pela chegada, tão desejada, do novo Bispo. Temos pressa, pois somos ovelhas frágeis do Teu rebanho. Essa cadeira vazia está com seus dias contados. Preenche-a, tão logo queiras, porque teu querer deve prevalecer acima de tudo. Preenche-a com a presença episcopal que carecemos ter em nosso meio.

Nós somos o Teu povo e Teu rebanho. As ovelhas que Tu conduzes com Tua mão divina através homens escolhidos por Ti mesmo. Esperamos resposta, Bom Pastor. Fica conosco nessa espera que só Tu tens poder de encerrar. Amém.

Por Seminarista Nailton Almeida