A Paróquia São Sebastião em Formosa (GO) se comoveu com o desastre na cidade de Brumadinho (MG) e, através dos fiéis paroquianos, arrecadaram doações de água e roupas e enviaram para as vítimas da cidade destruída pela lama.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Através do Pároco Pe. Rosemberg Batista e o vigário paroquial Pe. Keison Torres, que incentivaram as doações, a comunidade paroquial entendeu a real necessidade de ajudar e atenderam o chamado.


 

ENTENDA O CASO

Na última sexta-feira (25) a barragem 1 do complexo Mina do Feijão, da mineradora Vale, rompeu-se em Brumadinho (MG), a cerca de 60 km de Belo Horizonte, na região metropolitana. Quase treze milhões de metros cúbicos de rejeitos de minério despencaram da barragem atingindo a área administrativa da Vale, comunidades da região, e o rio Paraopeba, na Bacia do Rio São Francisco.  A tragédia aconteceu pouco mais de três anos depois da queda da barragem do Fundão, em Mariana, até então considerado o maior crime ambiental da história do país.

MORTOS E DESAPARECIDOS

O Corpo de Bombeiros informou na noite de domingo (27) que pelo menos 65 pessoas morreram. Ao todo, 386 pessoas foram localizadas vivas. O Instituto Médico Legal já identificou 31 vítimas, segundo o Corpo de Bombeiros.  Os bombeiros também informaram que 279 pessoas são consideradas desparecidas. Com essa informação, a queda da barragem em Brumadinho já fez mais vítimas que o desastre ambiental de Mariana, em 2015, que deixou 19 mortos.

O QUE PODE TER CAUSADO A TRAGÉDIA?

Ainda não se sabe as causas do rompimento da primeira barragem, mas o diretor da Sociedade Brasileira de Geologia, Fábio Braz Machado, tem uma hipótese. Para ele, uma combinação de pequenos tremores de terra e problemas na conservação das barragens pode ter sido a raiz do desastre.

Fonte: UOL