80 agentes da Pastoral Vocacional de oito dioceses do Regional Centro-Oeste da CNBB (Goiás e Distrito Federal) se reuniram nos dias 28 e 29 de setembro, no Centro Pastoral Dom Fernando (CPDF), em Goiânia, para estudar o Texto-base do 4º Congresso Vocacional do Brasil, que acontecerá em setembro do próximo ano, em Goiânia. O documento tem o mesmo tema do evento nacional “Vocação e discernimento”.

Assessorou a formação, que acontece todos os anos no regional, o padre Geraldo Tadeu Furtado, que é coordenador provincial dos Rogacionistas do Coração de Jesus. Ele participou da elaboração do Texto-base. Em sua exposição, o sacerdote fez uma leitura do documento com os participantes do evento. “O nosso objetivo neste encontro foi fazer uma leitura sucinta do conteúdo e estudar o texto que é dividido em três partes sobre o tema vocação e discernimento”, disse ele.

Segundo padre Geraldo, o tema é bastante pertinente para a Igreja e deve ser entendido com muita propriedade pelos agentes da Pastoral Vocacional, para que eles possam semear vocações nas comunidades. “É muito importante os agentes saberem que nós trabalhamos com pessoas humanas, sejam elas crianças, adolescentes, jovens, adultos, casais, famílias, idosos. E quando falamos no tema vocação, estamos nos referindo a quando Deus nos colocou no mundo, quando fomos concebidos no ventre materno. Deus não nos chamou em vão, mas a uma vocação à vida primeiramente para que possamos em seguida descobrir o nosso lugar no mundo. Qual o nosso lugar no mundo?”, questionou.

O assessor explicou ainda que responder a uma vocação define quem somos no mundo. Por isso, descobrir, nos encontrar no chamado de Deus, é indispensável. “Vemos muitos jovens com crises existenciais por que não descobriram seu lugar no mundo. Por isso é necessária orientação às pessoas; nossos agentes estarem preparados, pois descobrir a vocação é discernir para que lado e para onde vou”, explicou.

O padre Paulo Henrique Teles de Almeida, vice-coordenador da Pastoral Vocacional no Regional Centro-Oeste, disse que o tema discernimento é uma urgência nesta porção da Igreja. “Percebemos que o discernimento é um grande desafio em nosso regional. Trata-se de uma temática que devemos trabalhar mais e ajudar nossos jovens a fazer um caminho de crescimento na vida espiritual até discernir quais são os caminhos que Deus deseja para ele e para cada um de nós”, disse.

Vilma Jaime, agente da Pastoral Vocacional na Diocese de Anápolis, participou da formação anual. Para ela, o tema de estudo deste ano foi acertado. “Em nossas paróquias temos a missão de ajudar nossas crianças e jovens a descobrirem sua vocação e amadurecerem o chamado que o Senhor faz a cada um. Portanto, o tema é muito propício e nos ajudará muito nesse trabalho de colaboração ao discernimento vocacional”. Irmã Maria Aparecida faz parte da Pastoral Vocacional na Diocese de Formosa e na Congregação das Filhas dos Sagrados Corações de Jesus e Maria. Para ela, a formação é um revigoramento dos trabalhos que ela desenvolve. “Além de ser um momento de formação pessoal, o encontro é também uma retomada de forças e de expectativas para a dimensão vocacional, tanto na diocese quanto na congregação”. O seminarista Daltair Felipe Rodrigues, de 23 anos, e estudante do 2º ano de Teologia na Arquidiocese de Brasília, resumiu que o encontro é um impulso para ajudar a repensar a caminhada vocacional desenvolvida no Distrito Federal. “É um tema urgentíssimo que precisa ser estudado na Igreja porque para corresponder ao chamado de amor de Deus em nossas vidas, precisamos entender e compreender o que ele nos diz, para isso, precisamos fazer um bom discernimento para dar uma resposta. Temos que rever nossas ações para melhor acompanhar e ajudar nossos jovens a fazer um bom discernimento vocacional”, concluiu.