Arraial de Couros foi o primeiro nome de Formosa, criada na segunda metade do século XVII como desdobramento do município de Luziânia, nessa época também Arraial, por nome Santa Luzia. Sabe-se que as primeiras casas foram erguidas por negros fugindo da febre amarela, que estaria dizimando os moradores de um outro Arraial, o de Santo Antônio do Itiquira, na barra do rio Itiquira com o rio Paranã.

Em 1767, o padre Antônio Francisco de Melo celebrou a primeira missa na Casa de Oração de Couros.

Um marco histórico foi a instalação da Estação Fiscal de Registro da Lagoa Feia, em fevereiro de 1736, por ordem do rei de Portugal, que temia a evasão do ouro e o não pagamento dos tributos. Somente em 1843, o arraial foi elevado à categoria de vila e, pela primeira vez, apareceu o nome Formosa: Vila Formosa da Imperatriz.

O município de Formosa foi instalado em 1844 e seu primeiro prefeito foi o Sr. Lázaro de Melo Álvares.

Fonte: IBGE


Capela Santo Estevão

Capela Santo Estevão em 1915 (Fonte: Blog Prof. Sam Lucas)

Construída em 1915, na Praça Rui Barbosa. Foi demolida na década de 60. Foi a Matriz Católica até a construção da atual Catedral no final dos anos 60. Seu Santo Padroeiro acabou sumindo com o tempo.

A igreja de Santo Estevão foi a primeira de Formosa da ordem dos Dominicanos. No seu interior existiam grandes trabalhos de entalhe em madeira realizados pelas mãos de seu construtor: Antônio de Oliveira Branci.

A Igreja de Santo Estevão embelezava a principal praça da cidade e por motivos que não se sabe, foi destruída.

Reprodução: Histórico – Diocese de Formosa.
(Propedêuticos 2016)

 


A lenda da serpente

Assim que o Frei Estêvão veio fazer sua visita a Formosa, um pouco acima da Rua dos Criolos havia sido feita uma praça com uma capela (na época, distante do vilarejo). Só que essa capela foi construída exatamente em cima de um rio subterrâneo muito forte e devastador, pois era o rio que alimentava a Lagoa Feia, e todos esperavam que um dia esse rio levasse todas as casas e terras que existiam em sua extensão.

Não bastasse o rio, uma serpente muito grande se criou nesse lugar, chegando a quase uma légua de comprimento. Como a capela corria perigo, Frei Estêvão rezou bastante, e revestido com os poderes do Divino Espírito Santo, subiu ao céu e ganhou das mãos de Nossa Senhora da Conceição três fios de cabelo, com os quais ele – Frei Estêvão – deveria amarrar aquela serpente.

De volta à terra, Frei Estêvão se benzeu e, tomando consigo os três cabelos de Nossa Senhora da Conceição, entrou caminhando para dentro da Lagoa Feia, encontrando lá dentro três coqueiros submersos na água e o rabo temível da serpente, que no momento estava dormindo. Usando dois cabelos da Nossa Senhora da Conceição, Frei Estêvão amarrou o rabo da serpente aos dois coqueiros maiores e seguiu caminhando pelo rio subterrâneo até chegar à cabeça da serpente. Como Frei Estêvão estava invisível devido ter sido benzido, a serpente não o viu, por isso não avançou sobre ele. Lá no fundo do rio, brotava outro coqueiro, que pode ser visto exatamente atrás da Igreja de Santo Estêvão (no canto direito), foi onde o Frei Estêvão usou o outro fio de cabelo de Nossa Senhora da Conceição para amarrar a cabeça da- quela terrível serpente.

Reprodução: Texto e Imagem – Blog Prof. Sam Lucas

De volta, quando Frei Estêvão chegou à Lagoa Feia, a serpente acordou e, sacudindo, percebeu que estava amarrada. Ficou tão furiosa que, mexendo o seu corpo que não estava preso, esvaziou uma terça parte da Lagoa, que pode ser conferida exatamente com a marca do Cruzeiro colocado à margem um pouco antes pelo mesmo Frei Estêvão.

A capela foi demolida e no lugar dela foi construída uma linda igrejinha que, após a morte do Frei Estêvão recebeu o nome de Igreja de Santo Estêvão. Colocando o ouvido no chão próximo à Sacristia, podia ouvir atentamente o barulho das águas e o balançar da serpente tentando se soltar.

Mesmo que a igrejinha foi demolida em 1910, a serpente ainda encontra viva e amarrada, sendo que, se alguém cortar o coqueiro onde ela encontra amarrada, ou mesmo se o fio de cabelo de Nossa Senhora da Conceição se quebrar, ela levantará e arrasará a cidade.

Um curioso mergulhou até o meio da Lagoa Feia e falou que um dos fios de cabelo já se soltou, vamos rezar para que os outros não se quebrem.


Paróquias

Paróquia Catedral Nossa Senhora da Imaculada Conceição

Paróquia Cristo Rei

Paróquia Nossa Senhora Aparecida

Paróquia São Sebastião

Paróquia São Vicente de Paulo

Paróquia São José Operário

Paróquia Nossa Senhora Aparecida – Distrito do Bezerra

Paróquia Santa Luzia