imageA quarta-feira 21 de outubro foi um dia de despedidas. A Diocese de Formosa, os familiares, amigos e o povo da cidade de Nova Roma deram seu adeus ao saudoso Monsenhor Juarez dos Passos.
A cerimônia exequial foi presidida por Dom José Ronaldo e concelebrada por Dom Adai José (Bispo diocesano de Rubiataba) e por grande número de sacerdotes, e com a participação de grandioso número de fiéis. Em sua homilia Dom José Ronaldo destacou o valoroso exemplo de vida e dedicação de Monsenhor Juarez e como tantos outros sacerdotes entregam sua vida em favor do povo. Dom José destacou que “o padre é alguém que totalmente entregue ao próximo vive uma consagração de amor. É o amor que dá vida ao sacerdócio de inúmeros homens!”
Ao final da celebração, o Bispo De Rubiataba Dom Adair José expressou sua admiração e respeito por Monsenhor. Recordou como ele marcou sua vocação e também sua vida de cristão. O Padre Gilson Jardene veio representando a Diocese de Uruaçu e o bispo Dom Messias, bem como Dom José Chaves, ambos enviaram saudações e condolências aos familiares enlutados.
Ao fim da celebração Dom José Ronaldo presidiu o Rito de Exéquias e todos seguiram para o cemitério municipal para o sepultamento. Este foi um pedido do próprio Monsenhor: que fosse enterrado em sua amada Nova Roma.

Mons o Juarez dos Passos

Natural de Nova Roma-GO, nasceu em 30 de Abril de 1932. Foi Ordenado Presbítero em Goiânia-GO em 29 de Junho de 1962. Serviu a Diocese de Uruaçu-GO por vinte e oito anos e em 1990 veio para a Diocese de Formosa assumindo a Paróquia São Sebastião em sua cidade natal, onde permaneceu até o ano de 2008. Após este período, até 2013, auxiliou como Vigário Paroquial da Catedral até ficar impossibilitado de exercer o ministério pela debilitação de sua saúde. Desde então, esteve sob os cuidados da Casa do Clero Mãe da Divina Providência, em Formosa.
Monsenhor Juarez foi sacerdote abnegado e zeloso missionário, sempre atento às necessidades do Povo de Deus, sobretudo servindo às comunidades mais distantes. O seu amor pelo sacerdócio traduzido na fidelidade à Missa diária e na recitação da Liturgia das Horas, na devoção à Nossa Senhora e no respeito à pessoa do Bispo ficarão marcados em nossa memória. A morte traz consigo a tristeza pela despedida, mas a certeza da Ressurreição em Cristo e da recompensa pela dedicação ao Reino são para nós motivos de verdadeira esperança cristã e confiança nos misteriosos caminhos divinos, nos quais caminhamos com Fé e pelos quais queremos entregar a vida.
Monsenhor Juarez fez sua Páscoa na terça-feira, 20 de outubro, por volta de 00:40. Faleceu aos 83 anos no Hospital Luciano Chaves, onde estava internado durante alguns dias.

Por Pascom Diocesesana