Os primeiros habitantes do município vieram da Bahia, Minas Gerais e For- mosa. A criação de gado na região era a principal atividade que as pessoas encontraram na época, pois os campos eram um ambiente propício ao seu desenvolvimento. No final do século XIX, grandes fazendas ocupavam a maior parte do município, tais como Santa Bárbara e Monjolo. Atraídas por essa atividade, chegaram a Formosa da Imperatriz (hoje Formosa), vindas da Bahia, dona Aldonça Gomes da Silva e sua filha, Dona Lina Gomes da Silva, que adquiriram terras a sudoeste do município, e, segundo algumas informações da região, foram as primeiras habitantes das terras onde hoje se localiza Cabe- ceiras e precursoras da genealogia das raízes familiares cabeceirenses.

Por volta de 1938, Sebastião Crispiniano Torres, ou Sebastião Torres, como era popularmente conhecido, e Antônio Ribeiro de Andrade, ou Antônio Baiano, se juntaram a José Ribeiro dos Santos e com- binaram a transferência da capela trazida de Santa Bárbara para a cabeceira do Córrego Taboquinha.

O cruzeiro de madeira existente de- fronte à atual Igreja Católica é uma prova marcante, e nele está datado o dia 22 de maio de 1938.

Fonte: Confederação Nacional dos Municípios


Paróquias