Damianópolis

O povoamento da sede municipal teve origem às margens do córrego Santa Catarina, no ano de 1840, quando surgiram os primeiros moradores, procedentes do vizinho Estado da Bahia, atraídos pela boa qualidade das terras para lavoura e criação de gado, e a abundância de madeiras de lei nas florestas da região.

Formava-se, assim, o povoado, com o nome de Santa Catarina, derivado do córrego adjacente, tendo como primitivos habitantes e fundadores os senhores: Júlio Moreira de Moura, José Marques, João Rodrigues da Cruz, Juvêncio Pereira de Abreu, Jesuíno César de Melo e Manoel Justino da Silva, cujas moradas eram de pau-a-pique, cobertas de capim.

Inicialmente desenvolveram-se as atividades de cultivo de cereais e pecuária, crescendo gradativamente o tráfego de tropeiros que faziam comércio entre Goiás e Bahia, abrindo-se uma estrada para facilitar o transporte rodoviário, e edificando- se uma escola e uma capela.

Em 31 de dezembro de 1943, o povoado foi elevado a distrito. Em 14 de novembro de 1958, pela Lei Estadual nº 2149, o distrito passou à categoria de município, com o novo topônimo de “Damianópolis”, de origem desconhecida, desmembrando-se de Sítio d’Abadia e instalando-se em 1º de janeiro de 1959.

Fonte: IBGE


Sítio d’Abadia

A origem do povoamento de Sítio d’Abadia aponta ao ano de 1800, quando a viúva Laureana da Silva Barreto, vinda da Bahia, estabeleceu-se com seus escravos no lugar denominado Barreiro, onde passou a cuidar de lavouras e criação de gado.

Após construir uma igreja de palha, onde hoje se ergue a matriz, fixaram-se no local os irmãos Joaquim e João Teixeira Mariz, da Vila de Icó-CE, a partir de 1825. Mais tarde, chegava o padre Leonardo de Freitas Costa, primeiro vigário do local.

Nesse ano, as irmãs da fundadora doaram sua chácara a Nossa Senhora d’Abadia, passando o local a denominar-se Sítio da Senhora d’Abadia, primitivo nome do povoado, mais tarde apenas Sítio d’Abadia, cuja fundação data dessa época e onde crescia de ano para ano a romaria de São Sebastião.

Em 1830, diante do florescimento da povoação, D. Laureana fez a doação de uma área de mais de meia légua de terras à Igreja para a formação do patrimônio, consolidando-se o arraial em 1833, com a reconstrução da igreja em cuja frente levantou-se uma cruz de aroeira com data inscrita, assinalando a fundação do arraial de Sítio d’Abadia.

Em 16 de julho de 1850, pela Lei Provincial nº 19, o arraial passou a município, com sede, entretanto, na Vila de Flores, distante 160 km.

De 1850 a 1907, conforme registros em arquivo, Sítio d’Abadia teve sua sede transferida, alternadamente, para as Vilas de Forte e Flores, restaurando definitivamente a condição de Vila pela Lei nº 298, de 15 de julho de 1907, dando-se a instalação oficial, em sua própria sede, em 2 de novembro de 1907.

Fonte: IBGE


Paróquias