No dia 04 de maio de 2014, os seminaristas do Seminário Maior de Brasília Nossa Senhora de Fátima Francisco Lopes (Arquidiocese de Brasília – 4º de teologia); Jota Júnior (Diocese de Luziânia – 3º de teologia); Frederico Ornelas (Diocese de Formosa – 2º de teologia); Nielson Gomes (Diocese de Uruaçu – 1º de teologia) juntamente com Padre Severino Henrique, formador do mesmo seminário, participaram do encontro do OSIB em Anápolis, promovido pelo Regional Centro Oeste. Também estiveram presentes seminaristas, sacerdotes e formadores de outras dioceses pertencentes à esse Regional.

Partindo do livro “Reflexões sobre Sacerdócio” do Cardeal Arinze, o padre Paulo Batista da Diocese de Uruaçu elencou os pontos apresentados nessas reflexões e aprofundou em cada uma delas o que compõe os amores do sacerdote. Primeiramente, o Sacerdote deve amar a Jesus Cristo e em suas ações imitar em tudo o Senhor. O segundo amor é a Eucaristia. Ela deve sustentar e ser o centro de toda vida espiritual do padre, fazendo isso, levará uma vida eucarística que é uma vida doada, sacrificada e disponível. O terceiro amor é a Igreja: Esse amor se traduz na oração pela comunidade e na doação sem reservas. Para tal, o sacerdote precisa ter o coração pobre, voltado apenas para o Senhor.  O quarto amor é a Virgem Maria, assim como Maria, o sacerdote deve viver da Palavra, na escuta e na meditação no coração. Concluindo, Padre Paulo enfatizava que a evangelização é a propagação do amor que recebemos do próprio Jesus.

O ponto central desse encontro foi a Santa Missa concelebrada por vários sacerdotes. Na homilia, o padre recordava que o sacerdote, mesmo sendo o homem da Palavra, precisa ter o silêncio para está com o Senhor e a partir daí transparecer Cristo aos demais irmãos. Deus fala no silêncio, salientou.

No fim, todos partilharam o almoço e depois um momento de confraternização e partilha. 

Por Jota Júnior seminarista da Diocese de Luziânia com informações para Pastoral da Comunicação Diocesana.