Coração de Jesus, ensinai-nos a amar.

Coração de Jesus, acompanhai com vossa proteção os ministros ordenados da Igreja;
Coração de Jesus, dai serenidade a todos que vivem aflitos;
Coração de Jesus, derramai a vossa bênção sobre as famílias;
Coração de Jesus, curai os corações desanimados e feridos pelo pecado;
Coração de Jesus, tornai nosso coração semelhante ao vosso.

A Igreja celebra nesta sexta-feira, 28 de junho, o Sagrado Coração de Jesus, e vive uma antiga devoção, que considera o coração de Cristo como modelo de amor, paciente e misericordioso pelos pecados dos homens.

A festividade foi instituída em 1856 pelo Papa Pio IX, quando já estava expandida por diversas localidades.

Em 1670, São João Eudes introduziu a primeira festa pública do Sagrado Coração. Três anos mais tarde, Santa Margarida Maria de Alacoque começou a ter uma série de revelações que a levaram à santidade e ao impulso de formar uma equipe de apóstolos desta devoção. Com seu zelo conseguiram um enorme impacto na Igreja.

Ainda hoje, o Apostolado da Oração ao Sagrado Coração de Jesus zela por essa devoção e a propaga pelo mundo inteiro.

Origem da Devoção

A devoção ao Sagrado Coração tem sua origem na própria Sagrada Escritura. O coração é um dos modos para falar do infinito amor de Deus por nós. Este amor chega a seu ponto alto com a vinda de Jesus.

A devoção ao Sagrado Coração aparece em dois acontecimentos fortes do evangelho: o gesto de São João, discípulo amado, encostando a sua cabeça em Jesus durante a última ceia (cf. Jo 13,23); e na cruz, onde o soldado abriu o lado de Jesus com uma lança (cf. Jo 19,34). Em um temos o consolo pela dor da véspera de sua morte, e no outro, o sofrimento causado pelos pecados da humanidade. Estes dois exemplos do evangelho nos ajudam a entender o apelo de Jesus, feito em 1673, a Santa Margarida Maria Alacoque:

“Eis este coração que tanto tem amado os homens. Não recebo da maior parte senão ingratidões, desprezos, ultrajes, sacrilégios, indiferenças…

Eis que te peço que a primeira sexta-feira depois da oitava do Santíssimo Sacramento (Corpo de Deus) seja dedicada a uma festa especial para honrar o Meu coração, comungando neste dia e dando-lhe a devida reparação por meio de um ato de desagravo, para reparar as indignidades que recebeu durante o tempo em que esteve exposto sobre os altares.

E prometo-te que o Meu Coração se dilatará para derramar com abundância as influências de Seu divino Amor sobre os que tributem esta divina honra e que procurem que ela lhe seja prestada.”

O papa João Paulo II sempre cultivou esta devoção, e a incentivava a todos que desejassem crescer na amizade com Jesus.

Oração de Consagração

Este é meu propósito definitivo, único, ser todo d’Ele, e fazer tudo por amor a Ele, e ao mesmo tempo renunciar com todo meu coração qualquer coisa que não lhe compraz, além de tomar-te, Ó Sagrado Coração, para que sejas ele o único objeto de meu amor, o guardião de minha vida, meu seguro de salvação, o remédio para minhas fraquezas e inconstância, a solução aos erros de minha vida e meu refúgio seguro à hora da morte.

Seja, Ó Coração de Bondade, meu intercessor ante Deus Pai, e livra-me de sua sabia ira. Ó Coração de amor, ponho toda minha confiança em Ti, temo minhas fraquezas e falhas, mas tenho esperança em Tua Divindade e Bondade.

Tira de mim tudo o que está mal e tudo o que provoque que não faça Tua santa vontade, permite a Teu amor puro a que se imprima no mais profundo de meu coração, para que eu não me esqueça nem me separe de Ti.

Que eu obtenha de Tua amada bondade a graça de Ter meu nome escrito em Teu coração, para depositar em Ti toda minha felicidade e glória, viver e morrer em Tua bondade. Amém!

Fonte: ACI Digital e Aleteia