Quarta-feira da XIX Semana do Tempo Comum
Evangelho – Mateus 18,15-20

No Evangelho de hoje Jesus nos orienta sobre a importância da vida em comunidade. Ele sabe o quão é difícil assim viver, porque são pessoas diferentes que precisam conviver, e sem a graça de Deus é impossível. A primeira instrução é sobre a reconciliação. E o interessante é que Ele inicia dizendo: Se teu irmão pecar contra ti… não é se você tem algo contra teu irmão mas sim se ele pecar contra ti. Os passos a serem dados revelam o quanto Jesus exige de nós um amor concreto, que nos lembra Paulo que nos diz pra que se ponha o sol sobre nosso ressentimento. Pede que procure particularmente o irmão e tente resolver entre si aquela “pendenga”. Se ele te ouvir, diz Jesus, terá ganho o seu irmão, ou seja, salvou de seu pecado. Se não, Jesus pede que vá novamente com duas pessoas idôneas, que possam ajudar na reconciliação. Se não adiantar, que leve pra Igreja. Se nem assim ouvir, que seja tratado como um pagão, que não faz parte mais do ambiente comunitário. O que nos é ensinado é que temos que lutar para bem conviver usando todas as armas para salvar os relacionamentos fraternos. Não se pode permitir que haja divisões, picuinhas desnecessárias, mágoas, rancores, fofocas que impedem uma comunidade de viver o mandamento do amor recíproco tão propagado por Jesus.

O que Jesus nos ensina é o que a sabedoria popular já nos adverte: cortar o mal pela raiz! Antes que espalhe e faça um estrago, corte pela raiz. É essa a estratégia cristã. Ao procurar a pessoa pessoalmente, já se quebra ali muitas incompreensões, muito mal entendido. Ao invés de ficar dando ouvidos a fofocas, a diz-que-me-disse. O mal vai ser atingido na raiz. Se o irmão não quer mudar de vida, não quer se converter, não quer saber de perdoar, portanto ele não quer viver em comunidade, quer ser solitário, egoísta, egocêntrico, afastado de tudo e de todos. Viverá uma vida muito triste, como uma ilha. Mas a decisão é dele! A opção quem faz é cada um em sua liberdade. Mas antes de chegar a esse patamar, vamos lutar pela salvação de sua alma.

Jesus encerra dizendo que a vida em comum e tão importante que até a oração feita por dois ou três, sobre tudo que quiserem pedir, será concedida pelo Pai Eterno. Pois onde dois ou três estiverem reunidos em nome Dele, Ele estará presente. Que maravilha!!! Olha o poder da oração em comum. A oração pessoal é importante, mas não descuidemos da oração comunitária: terços juntos, as novenas juntos, o cerco de Jericó, e acima de tudo a Santa Missa, a mais plena oração comunitária. Quem reza junto, permanece junto! Família que reza unida, permanece unida! Oremos juntos meus irmãos. A vitória será maior e mais rápida. É Jesus que nos promete!

Deus te abençoe sempre!

Padre Joaquim Regis Filho
Pároco da Paróquia São Domingos de Gusmão em São Domingos – GO


Clique aqui e veja o evangelho de hoje