Sobretudo, que nosso amor aos outros seja pautado pela ousadia dos gestos. Chega de protestos inúteis contra tantos defeitos, pois, perdemos muito tempo com isso. Sejamos corajosos no amor mesmo se por vezes apresentar-se tão difícil, inviável ou doloroso. Corramos riscos que valham apena correr. Abramos os braços de nosso coração tantas vezes cruzados, impedindo aproximação. Amar é exercício que nos torna menos solitários e mais humanos. Irmana-nos dum jeito bonito, extraindo aquilo que há de melhor do nosso interior.
Mas, não é do amor meramente humano a que me refiro. É do amor cuja origem é Alguém concreto, vivo e presente na história. Ele é a medida exata, equilibrada de todo amor verdadeiro. Fora Dele, tudo é caricatura e propaganda enganosa.
Se nos esforçarmos por amar como Ele amou e ama, é certo que seremos capazes de transformar o mundo num lugar melhor para todos. Será viver na terra o céu antecipado. Esse amor que Dele vem, se levado a peito, levado a sério, esse amor revelado por Seu Filho, Jesus Cristo, tantas vezes vilipendiado, zombado, insultado, incompreendido… esse amor faz toda diferença. A tal ponto que, mesmo diante das piores ofensas – por mais polêmicas que venham a ser – ainda assim, manifeste misericórdia, compaixão, pacifismo, solidariedade.
Amor assim é escandaloso. Porque é amor ensinado pela própria Fonte do amor. Uma boa e atenta leitura do Evangelhos mostram isso escancaradamente.
Amor assim é escandaloso até mais que os próprios escândalos, provocações, calúnias e perseguições manifestadas contra Ele.
Amor assim chega ao extremo da Cruz. Essa Cruz de amor que ainda perturba tantos, permanecendo a inabalável certeza de Salvação de bilhões em todo o mundo.
Amor assim suporta tudo, pois, o Autor e Revelador desse amor suportou tudo a ponto de olhar com carinho para seus carrascos, dizendo livremente: “Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que estão fazendo”.
Amor assim deve ser imitado.

Por Sem.Nailton Almeida